Precisamos falar sobre Luke Cage (Review sem Spoilers)

 É sério, precisamos mesmo falar sobre Luke Cage, o seriado estreou na Netflix no dia 30 de setembro e provou mais uma vez que as series da Marvel estão com tudo.



 Luke Cage traz o ator Mike Colter de volta ao papel do herói, depois de uma aparição discreta no seriado da Jessica Jones o ator mostra todo seu potencial nos 13 episódios da serie, a personagem é frequentemente citada na serie, assim como o Demolidor e o Wilson Fisk, no elenco temos também Rosario Dawson voltando ao seu papel de Claire Temple (ou Enfermeira Noturna se você acompanha os quadrinhos da Marvel), essa inclusive é a unica personagem a ter feito uma participação em todas as series da Netflix e poderá ser o elo que irá ligar todos os personagens no seriado dos Defensores, mas vamos falar de Luke Cage por hora.

 Diferente das outras series da Netflix o seriado faz uma clara homenagem ao Blacksploitation, explicando de maneira rápida e simples eram filmes dos anos 70 que tinham quase todo o elenco composto por atores negros e com fortes influencias da cultura afro-americana, entre estes filmes o mais popular sem sombra de dúvidas é o Shaft, diga-se de passagem a trilha sonora de Luke Cage é fantástica.


 O seriado faz diversas referencias aos quadrinhos, como o apelido de "poderoso" que o personagem tem na serie, remetendo ao quadrinho Power Man and Iron Fist, quadrinho no qual o Luke Cage trabalhava junto com o Punho de Ferro.

 Em determinado episódio o personagem acaba usando braceletes e tiaras junto com uma blusa amarela assim como o uniforme clássico do herói, outra grande referencia aos quadrinhos é sua frase clássica "sweet christmas" que nos quadrinhos aqui no Brasil foi traduzido como "cacetada", enfim não vou entrar em muitos detalhes com as referencias para não dar nenhum spoiler.

 Vilões clássicos do personagem também estrelaram a temporada, como Kid Cascavel e Boca de Algodão, um ponto forte da temporada não foi se prender todos os episódios em um único enredo, o que acabou prejudicando por exemplo o seriado da Jessica Jones que ficou repetitivo e previsível, aqui eles acertaram em cheio.


 Uma sábia decisão do roteiro foi se distanciar dos eventos da Cozinha do Inferno, dessa vez o foco é no Harlem, um bairro de Nova Iorque conhecido por sua forte cultura afro-americana, além de funcionar perfeitamente com o contexto da serie a liberdade para criar algo novo foi incrível, sem precisar se prender muito a mitologia do Rei do Crime e do Demolidor.

 Luke Cage teve uma grande importância para o mundo dos quadrinhos e a serie não fica devendo em nada, além de mostrar a criminalidade do Harlem a serie também mostra o lado positivo do bairro, o lado cultural e criativo, o lado das pessoas que estão lá para ajudarem e fazerem a diferença, minhas expectativas para a serie estavam altas e Luke Cage só não cumpriu como superou tudo que eu esperava ver, com certeza uma das melhores series do ano e você precisa assistir.

 Há estava me esquecendo, só um detalhezinho: um dos produtores executivos da serie é o Jeph Loeb, se já leu algum quadrinho escrito por ele sabe que pode esperar algo no mínimo sensacional.

 Já assistiu Luke Cage? Deixe sua opinião nos comentários e suas expectativas para Os Defensores.