Jessica Jones: Analise da primeira temporada da nova serie da Netflix

 Demorou mas enfim estreou, Jessica Jones, o seriado da Netflix baseado nas historias em quadrinhos da Marvel finalmente teve sua primeira temporada, ao total foram 13 episódios excelentes (mas com alguns defeitos) que expandiram ainda mais esse universo da Marvel nas series e no cinema, vamos analisar?


jessica jones
 Para quem não conhece Jessica Jones é uma webserie da Netflix baseado no quadrinho chamado Alias (já existia uma serie com esse nome, talvez seja por isso que colocaram o nome da heroina, Alias é o nome da agência de investigações da personagem, aqui no Brasil foi adaptado para Codinome Investigações), a serie teve 28 edições e foi publicado pelo selo adulto da Marvel, a Marvel Max (uma especie de Vertigo da casa das idéias), essa primeira temporada é totalmente inspirada no ultimo arco da mini-serie, em uma aventura chamada Névoa Púrpura, em que Jessica Jones precisará enfrenter o sádico Homem Púrpura (ou se preferir: Killgrave).

 Jessica Jones (Krysten Ritter) além de trabalhar em sua agência de investigações e ter problemas sérios com alcoolismo também possui habilidades sobre-humanas da qual não sabe a origem, apesar de já ter cogitado se tornar uma heroina ela acabou abandonando a ideia e tenta ter uma vida normal, no entanto ela guarda um passado sombrio em que foi dominada por um sociopada conhecido como Killgrave (David Tennant), o qual tem a habilidade de controlar o corpo e a vontade de quem ele mandar, Killgrave fez com que ela cometesse atrocidades no passado e aparentemente ele voltou para a cozinha do inferno para atormentar a vida da investigadora.

jessica jones
Killgrave, o Homem Púrpura
 Além de grandes atores como Krysten Ritter (Breaking Bad) e David Tennant (Doctor Who) a serie também trouxe a atriz Carrie-Anne Moss (Trinity de Matrix), Mike Colter interpretando o Luke Cage do qual terá sua própria serie em um futuro bem próximo.

 A serie fez várias referencias aos Vingadores e todo o universo Marvel, quem já leu Demolidor: A Queda de Murdock (leia o review clicando aqui) pode até ficar animado com o futuro da serie do homem sem medo, não vou entrar em muitos detalhes para não dar spoiler mas os entendedores entenderam de quem estou falando.

 Jessica Jones possui uma trilha sonora boa, não excelente, o maior ponto negativo do seriado sem sombra de dúvidas são as cenas de ação, são bem ruins mesmo, a coreografia, as cameras, é tudo péssimo, não teve sequer uma cena de ação boa em todo o seriado, por sorte esse não é o foco da narrativa (ufa).

jessica jones
Jessica Jones
 O que mais salvou a temporada sem sombra alguma de dúvidas foi o ator David Tennant interpretando o vilão Killgrave, o vilão ficou tão bom que mesmo quando ele não estava em cena ele roubava toda a atenção, me arrisco dizer que sem o Tennant a temporada teria sido bem mediana ou até mesmo muito fraca, se houver uma segunda temporada de Jessica Jones e não tiver o Killgrave, o seriado irá perder pelo menos 75% de todo o seu charme e potencial.

 Krysten Ritter é uma boa atriz mas lhe faltou um pouco mais de carisma, a personagem Jessica Jones tem um grande potencial e não foi totalmente explorado ao longo da temporada, volto a falar: acho complicado a personagem funcionar sem o Killgrave, seria o mesmo que o Batman sem o Coringa ou Superman sem Lex Luthor, só o futuro irá nos dizer o que pode acontecer.

 Luke Cage foi um personagem que curti demais ver na serie, apesar de já conhece-lo a longa data lendo quadrinhos eu nunca o considerei muito carismático, ao terminar de assistir a serie eu estou ansioso para ver sua aventura solo, será muito bacana e irá enriquecer ainda mais esse universo Marvel.

 A temporada não foi tão perfeita quanto imaginei que poderia ser, apesar de muito boa ainda sim ficou as sombras do seriado do Demolidor (leia sobre a serie), no entando é com certeza absoluta que considero uma das melhores adaptações de quadrinhos para um seriado feito até o momento.